quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Vazio

Ah, esse vácuo medonho que sinto no meu seio!
Muitas vezes penso...
se pudesses uma vez,
uma só vez, apertá-la ao meu peito,
todo esse vácuo haveria de se encher.


Werther




...Protagonista de uma peça inacabada
..........................................me interpreto
................................................sob o olhar atento do vazio.
.....
...Em meio aos transeuntes,
............................................... ..vou e venho...
............................................ .não faço senão ir e vir.
.....
...Melancolia de uma tarde
....................... . ...........fria e chuvosa, cenário nostálgico.
................................................................................................................
...Refaço o caminho de casa e adentro o quarto
.............................. da mesma maneira que saí...
..................................................... ..Vazio
..............................................................................................
.............................................................................................
...........................................................................................
[Foto: Alberto Monteiro]

Um comentário:

Carol Barcellos disse...

Eu me identifiquei com cada palavra desse poema. Sei exatamente como é esse vazio, como é a peça inacabada. Não que não seja grata por tudo que tenho, porque sou, e reconheço o valor de cada pessoa e cada coisa em minha vida. Mas é estranho como esses sentimentos nos assolam às vezes...

Beijos doces cristalizados!!! :o*